Terça-feira, 19 de Julho de 2005

desabafo

São tantos os nervos que me apertam o peito que não sei como ainda respiro.
Por um lado, quem eu amo, traí-me a confiança com coisas minimas, infimas, mas que irritam como uma comichão que não passa. Por outro, quem eu desejo, deixa de existir, ou nunca existiu, apenas a tenho na memória, imaginada por mim.
É tão triste ter de enfrentar a vida sem alguém que nos alente.
Mas por vezes estou feliz.
Sim, uma felicidade falsa, mas faz-me sorrir.
Isso é que interessa.

publicado por JoãoSousa às 19:24
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Anónimo a 19 de Julho de 2005 às 20:36
Tentar encontrar nas pequenas coisas da vida, um alento. Começa por observar os pequenos detalhes desde o teu acordar ao adormecer, os mais pequenos... Cumprimentos. Maria do Céu
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs