Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2004

A descoberta

33304.jpg

Lembro-me quando olhávamos para a lua, acabada de nascer, um simples risco no céu escuro.
Depois despias-te e o teu corpo ficava a brilhar com a luz que existia não sei de onde e os reflexos da água faziam desenhos no teu corpo.
Então eu despia-me, e ficávamos a olhar-nos os dois no escuro, a conhecermo-nos.
Punhas-me a mão no peito e eu respirava fundo. Precisávamos de nos tocar para percebermos que aquilo que víamos era real.
Passava as mãos pela tua cara e encontrava os teus olhos, os teus lábios, depois descia pelo teu cabelo e tocava-te nas costas. E as mãos deslizavam por elas de tão suave era a tua pele. Subia novamente e passava pelos teus ombros perfeitos e descia, o teu peito os seios, tudo isso era novo nas minhas mãos, apesar de o meu olhar estar já habituado a ver-te. As minhas mãos estavam maravilhadas. Devagar, senti cada poro da barriga e cheguei as coxas, contornando-as, conhecendo-as de todas as perspectivas. Deslizei devagar até aos pés, num movimento que demorou uma eternidade.
Conheci-te. Em todo o teu ser, Conheci-te.
Foi a tua vez.
Na mesma lentidão, com o mesmo toque suave, conheceste todo o meu corpo. De cima a baixo aprendeste a localização de cada cicatriz, de cada covinha, de cada poro.
O teu toque era tão suave que me sentias respirar por todo o corpo.
Finalmente chegaste à ponta dos meus pés.
Deitaste-te em cima de mim. O meu corpo recebeu bem o teu frio com uns arrepios delirantes. Beijaste-me o peito, a cara e disseste-me suavemente ao ouvido:
"Agora que nos conhecemos totalmente, é hora de nos separarmos. A partir de hoje nada ganharemos com este amor. Apenas perderemos. Completaremos agora o expoente máximo do nosso conhecimento mútuo e partiremos, cada um para seu lado, sem tristeza nem remorsos. Apenas felizes porque sabermos que algures, está alguém que conhecemos completamente e que nos conhece também da mesma forma."
E entregou-me de vez o corpo, antes de partir.

A verdade é que não estou triste.
Apenas só.


Gabriel Braga
15/12/04

publicado por JoãoSousa às 13:18
link do post | comentar | favorito
15 comentários:
De Anónimo a 17 de Dezembro de 2004 às 12:17
A paixao é mt boa e mesmo q seja c kem n devemos desde q nos sentimos felizes axo q vale tudo. beijokas. Adorei.andrye
(http://andrye.blogs.sapo.pt)
(mailto:andrye@sapo.pt)


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2004 às 18:08
Muito intenso.

gostei da ultima parte:
"a verdade é que não estou triste apenas só"

Bjundas

=*JeriLee
(http://tiakeu.blogspot.com)
(mailto:jerilee@hotmail.com)


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2004 às 14:58
É tão bonito entregarmo nos á pessoa que Amamos!Enquanto não houver Amor...Bem...Entregamo nos á cumplicidade...á atracção!!!
bjos,
fica bembarmaid
(http://www.barmaid.blogs.sapo.pt)
(mailto:hjbkj@sapo.pt)


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2004 às 14:53
Dou te a minha mão para que não te sintas tão só.. um belo devaneio teu delicioso de ser ler.. agradavel e mt meigo Beijo Te**Black Rose
(http://wwwalguemperdido.blogspot.com)
(mailto:gu4no@hotmail.com)


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2004 às 14:05
Gostei imenso :)
Escreves muito bem,parabens.Beijokas****Monica
(http://wwwmypapermoon.blogspot.com)
(mailto:mnh@sapo.pt)


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2004 às 12:56
Esqueceste-te de colocar a bolinha no canto... :-))Carlos Tavares
(http://o-microbio.blogspot.com)
(mailto:carlos.roquegest@mail.telepac.pt)


De Anónimo a 16 de Dezembro de 2004 às 01:38
Tema muito bem tratado e lindamente escrito.
O final é surpreendente, inteligível,mas não crível.
Quem o faria?
Eu não, por certo! mfc
(http://pedemeias.blogspot.com)
(mailto:manuelfelixcosta@msn.com)


De Anónimo a 15 de Dezembro de 2004 às 20:29
Tu nao estás só, tens montes de gente q te adora perto de ti... Só n tens quem mais queres, e por isso o teu coraçao se sente assim... só!
Descreveste tao detalhadamente o enredo do momento que qd acabei de ler pensei q eu era ela e ele era ele! do u know what i mean? ;)missantipatia
(http://www.missantipatia.blogs.sapo.pt)
(mailto:missantipatia@sapo.pr)


De Anónimo a 15 de Dezembro de 2004 às 19:33
Extremamente sensual, delirante até este teu escrito. Não te despeças assim. Vai...corre, ainda a apanhas. Garanto-te!stillforty
(http://nofiodanavalha.blogspot.pt)
(mailto:teresakaflalo@yahoo.com.br)


De Anónimo a 15 de Dezembro de 2004 às 18:15
O_o perder alguem dps d td exe ritual lindo, eu n aguentava.. n sei cm tas triste eu estaria infinitamente triste =\verdinha
(http://www.osmeussegredos.blogs.sapo.pt)
(mailto:verde_girl@hotmail.com)


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs