Segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2006

Compreensão da árvore

arvore.JPG


A tua voz edifica-me sílaba a sílaba

e é árvore desde as raízes aos ramos

Cantas em mim a primavera breve tempo

e depois os pássaros irão

povoar de ti novas solidões

E eu sentirei na fronte permanentemente

o sudário levemente branco do teu grande silêncio

ó canção ó país ó cidade sonhada

dominicalmente aberta ao mar que por fim pousas

na fímbria desta tua superfície.



Ruy Belo

publicado por JoãoSousa às 19:08
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 00:35
Continua gostei muito do teu blogSigurHead
(http://notasfrageis.blogspot.com/)
(mailto:)


De Anónimo a 7 de Fevereiro de 2006 às 16:31
simplesmente lindo!

www.amar-ela.blogspot.comdanielamann
(http://www.amar-ela.blogspot.com)
(mailto:emperial@sapo.pt)


De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2006 às 23:27
Um belo poema sem dúvidas...polittikus
(http://pornograffit.blogspot.com)
(mailto:polittikus@hotmail.com)


De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2006 às 20:00
Ainda bem que voltaste e ainda por cima com Ruy Belo... :-)Carlos Tavares
(http://o-microbio.blogspot.com)
(mailto:carlos.roquegest@mail.telepac.)


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs