Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Tempo

Começou assim sem querer, por mágicas ainda não compreendidas, um novo mundo que surgiu contente e feliz, calmo e leve, colorido e vivo.

Deixaram-se as tiranias vingativas, ou os aproveitamentos monstruosos. Perderam-se as cores cinzas e negras e esqueceram-se as mortes e os corpos deixados nas valetas do reino.

Desapareceram a solidão e a pobreza, surgiram em árvores, a abundância e a companhia. Deixou-se o egoísmo e a ganância, os abutres tornaram-se pombas e as hienas, cães felizes na sua patetice infantil.

E assim se formou o mundo.

Precisou-se de tempo, e do fim do mesmo. E da volta do tempo. Precisaram-se de erros e de revoltas, de vinganças e absolutismos. E em tudo sempre se presenciou o tempo.

Agora o mundo está vivo e com tempo. É novo. É jovem. Tem tempo.

música: Muse - Time Is Running Out

publicado por JoãoSousa às 20:52
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Emanuela a 1 de Outubro de 2008 às 01:12
Hum...Parece-me que estás amando! Tomara que seja isto, porque estás passando algo bom, leve...Feliz!
Beijos


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs