Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

Abutres

 

Alertem-se almas sacrificadas desta guerra!
Os abutres tornaram-se os meus lacaios.
Abomináveis criaturas que me seguem,
Com cheiro a sangue e carne ainda viva.
 
Mas sem estes, nada mais existe, nada mais surge,
Tudo estagnou num marasmo ermo e destruído.
Porque a vida foi aniquilada e a morte
Não sobrevive assim, sem almas para roubar.
 
E escrevo-te a ti que morreste,
Escrevo-te porque fervilha dentro de mim
A escrita em fúria, pelo que aconteceu.
 
Por tua culpa, deixei-me às sibilantes cobras,
Rodeei-me dos moribundos abutres
E tornei-me rei de um reino despojado de vida!
música: Brandi Carlile - The Story

publicado por JoãoSousa às 20:23
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Emanuela a 10 de Junho de 2008 às 21:56
Sempre gostei desta tua forma soturna de escrever...Esta "escrita em fúria, que fervilha dentro de ti", também em mim habita, mas não com a mesma propriedade de escrita.
Beijos


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs