Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

O Fá (E o início de ano)

Atiramo-nos de cabeça por falésias espinhosas sem pensar duas vezes nas belas notas que nos perseguiam o espírito.

Só depois do salto é que reconhecemos as tão familiares composições, que nos azucrinavam os ouvidos e nos toldavam os olhos em turvas cores e visões sem nexos e sentidos.

E passa-se tudo tão rápido. O arrependimento, a vontade de voltar atrás e o visionamento de toda a vida passada, naquele mínimo segundo de futuro antes de acabar.

Famintas as espinhas da falésia devoram-nos e engolem-nos em ondas brutais de mar, que desfazem o corpo em pedaços e ensanguentam a límpida água dum vermelho sujo e arrependido, de quem saltou sem querer, sem vontade, só com medo de um triste Fá.

música: Timesbold - Bone Song

publicado por JoãoSousa às 20:10
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De V.A.D. a 12 de Janeiro de 2008 às 01:50
A atracção pelo abismo e o arrependimento tardio, tão bem descritos na metáfora da falésia, o medo irracional determinando aquilo que pode ser um fim triste...
Excelente, o teu texto!
Votos de um fim-de-semana musical!

Um abraço.


De Emanuela a 12 de Janeiro de 2008 às 17:50
É pela força que empregas nas palavras que usas e no sentimento que colocas em cada publicação, que deixei um presente para ti no meu blog. Um beijo, e espero que gostes.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs