Domingo, 16 de Dezembro de 2007

O Ré (Re-volta, Re-nascimento, Re-conciliação, Re-speito, Re-união)

Estás bem? E a tua revolta por causa dos teus mais vazios sentimentos que constam na acta da tua depreciação como homem?

A revolta é o prato frio que se serve quando a alma adormece na mórbida relação dos tempos quietos de quem tem sono e adormece e de repente torna à existência, por um artifício qualquer de vida ou de magia. A revolta de um corpo morto que enche o peito de ar e reforma a intuição de ser que a alma anseia. Pela mais simples e banal nota musical vê-se o regresso da alma ao seu corpo, o mesmo corpo que abandonou. E num suspiro surge a vida que por momentos parou.

 Renasce!

E acorda-se novamente para o esplendor diurno dos paraísos vivos, com a determinação renovada de apaziguar a alma, que irada partiu, com o corpo, que morto ficou, e reconciliá-los novamente numa só máquina, empenhando todos os apetrechos necessários para o surgimento de uma nova harmonia entre duas partes distintas, preparando-as para se perceberem e respeitarem e se reunirem novamente, tornando-as numa locomotiva poderosa e única.

E entre álcoois se escrevem coisas sem nexo. E entre músicas se escrevem mirabolantes composições. E entre tudo isto e mais o escuro, o frio e os fumos apercebe-se que nada está perdido, antes pelo contrário. Tudo começa agora com um simples Ré.  

música: Rosa Negra - Vou dar de beber à dor

publicado por JoãoSousa às 18:36
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Emanuela a 16 de Dezembro de 2007 às 19:24
E ainda és capaz de considerar-te como um ser banal? Alguém, que a partir de uma "simples" nota musical, consegue refletir tudo isto? Não, amigo. Considero-te uma pessoa nada comum.Considero que existe em ti um veio muito forte de poesia sempre querendo aflorar.
Um beijinho, para teu eu re-nascido, re-avivado!


De V.A.D. a 17 de Dezembro de 2007 às 14:16
Existe um rastilho que precisa apenas de ser acendido para que a mente expluda numa miríade de pensamentos que, transcritos, fazem a maravilha que é este teu texto...!

Um abraço.


De Carlos Tavares a 20 de Dezembro de 2007 às 17:19
UM FELIZ NATAL!!! :-)))


De KI a 21 de Dezembro de 2007 às 13:50
Porque me apetece http://catacumbas.blogs.sapo.pt/


De Lazy Cat a 23 de Dezembro de 2007 às 12:43
Re-nasscer em lento despertar, ainda que sem vontade, ainda que sem saber para onde olhar.
Re-união de dois um que se fazem em lugar e tempo nenhum.
Re-viver ainda que por magia, ainda que com dor, ainda que em pouca alegria.
Re-começar com notas simples, vibrantes e cristalinas, ainda que não sejam melodia, ainda que esbarrem em cicatrizes...

Re...tornarei, como sempre. Um beijo.


De V.A.D. a 24 de Dezembro de 2007 às 00:24
Porque o meu ateísmo convicto não impede que me sinta contagiado pelo espírito natalício que paira no ar, sob a forma de sorrisos luminosos e de luzes sorridentes... Porque sinto uma enorme consideração por ti, não posso deixar de formular o desejo de que esta quadra te traga tudo aquilo que possas desejar. Feliz Natal!

Um abraço.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs