Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Irmão


                     old town stairs ©2003 Linda Treash

Eu lembro-me bem.

Eu contava sempre, tu corrias muito e tinhas muito jeito para te esconderes.

Às vezes perdias de propósito e quando eu me escondia, fingias sempre que não me vias. Só para me deixares feliz.

A unica coisa que me lembro depois disso, foi de contar os degraus que davam para o teu quarto.

Eram 54. 54 para cima, 54 para baixo.

No início, quando era para te ver, eu saltava de dois em dois e a mãe ralhava-me.

“Cuidado! Ainda vais cair! Cuidado.”

Mas eu não lhe ligava. Queria era começar a brincar contigo.

Às vezes tu estavas de bom humor e então punhamo-nos os dois a brincar aos carrinhos, ou a fazer desenhos.

Tinhas tanto jeito para os desenhos. Ainda tenho aquele desenho do super-homem que fizeste.

Para mim és aquele super-homem.

Quando estavas de mau humor mandavas-me embora e dizias que não gostavas de mim. Eu saía do quarto a choramingar e tu vinhas atrás de mim a pedir desculpa e a dizer que não podias brincar porque estavas muito cansado.

E eu ficava todo contente e ficava ao teu lado, a olhar para ti, todo sorridente.

 

 

Depois morreste.

E eu nunca te perdoei não me teres dito que ias embora. Não me avisaste, não me preparaste. Mentiste-me e pronto!

 

Lembro-me perfeitamente que nessa tarde, depois dos 54 degraus para cima, tu tinhas acabado de acordar e sorriste quando me viste a entrar todo trapalhão e a subir para a tua cama.

A mãe ralhou-me por te ter acordado e tu disseste que não fazia mal.

Depois tossiste, fechaste os olhos e morreste.

 

Foi nesse dia que aprendi que 54 degraus podem tornar-se em 1000 assim de repente.

música: Blonde RedHead - 23

publicado por JoãoSousa às 00:36
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De V.A.D. a 16 de Outubro de 2007 às 01:38
Emocionei-me com a forma simples, mas imensamente profunda, que usaste para recordar alguém que foi parte do teu processo de crescimento.
Tenho um irmão mais velho que é acima de tudo um amigo; sei dar valor à fraternidade...

Um abraço!


De Emanuela a 16 de Outubro de 2007 às 01:42
O que dizer-te? É real?
Meu coração bate descompassadamente diante deste texto... A dor que ele transmite atinge-me em cheio!
E sempre,diante de coisas assim, tenho vontade de dar um longo abraço em quem sofre e chorar um pouco as suas lágrimas. É assim que me fizeste sentir.
Deixo-te este abraço, com muita ternura!


De Melissa.yedda a 16 de Outubro de 2007 às 23:59
Amigo poeta...Lindo post! Um beijinho


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Imagens

SAPO Blogs