Terça-feira, 29 de Junho de 2004

Resposta ao teu "Porquê"

Talvez por cobardia nunca te olhei! Nunca olhei para ti talvez por cobardia, por medo, por saber que os teus olhos estariam postos nos meus, e eu sei que não iria aguentar a tua pressão inocente, de quem está apaixonado.
Talvez por cobardia nunca te olhei! Lançava-te olhares como se fingisse não te ver, como se visse algo interessante atrás de ti, mas apenas olhava para te controlar, para ver se continuavas a olhar para mim. E tu olhavas.
Talvez por cobardia nunca te olhei! Ansiavas tanto o meu olhar e nunca to dei, apesar de ansiar também o teu, tinha-o sempre em mim, e isso chegava-me, mas nunca te dava nada a ti. Muitas vezes te toquei, muitas vezes te senti tremer e nesses segundos tinha de usar toda a minha força para me manter firme e não cambalear como tu com a força dos tremores que nos davam. E nunca te olhei por medo!
Nunca me sentei ao teu lado! Se não tinha coragem de te ver, também não tinha coragem de me sentar ao teu lado. Era demais para mim, mas ao mesmo tempo, voltava todos os dias para que me visses, e assim era feliz.
Nunca me sentei ao teu lado! Mesmo quando o meu banco está ocupado, prefiro sentar-me num espaço pequeno antes de me sentar ao teu lado, olhar para ti, fazer-te sorrir de nervoso, e partilhar a mesma solidão. Porque tenho medo.
Nunca me sentei ao teu lado! Apesar de passarmos horas, frente a frente, tu olhando-me de frente e eu fingindo ignorar-te. Prefiro sentar-me à tua frente. Não tenho razão para tal mas sinto-me mais longe e com mais segurança. Mas é por medo.
Nunca te sorri! Porque o meu sorriso denunciaria tudo. O meu amor por ti que tento não mostrar.
Nunca te sorri! Apesar de saber que estas à minha frente todos os dias, que me olhas de frente, sentado em frente a mim. Por medo claro! Porque mostraria tudo em mim com o meu sorriso.
Nunca te sorri! Mesmo quando me sorrias pensando que eu iria responder, eu fingia que não via, por cobardia, por medo, porque o meu sorriso denunciaria tudo, te mostraria o meu ser e o meu amor por ti.
Não me sento ao teu lado e te olho com um sorriso por medo!
Mas porque não fazes tu o que me pedes?

Gabriel Braga

publicado por JoãoSousa às 19:42
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Antena

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Leitura


O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder



O Amor Em Tempos de Cólera - Gabriel Garcia Márquez


O romance da raposa - Aquilino Ribeiro


A Arte da Fuga - Daniel Sampaio


Laranja Mecânica - Anthony Burgess



Tudo Que Temos Cá Dentro - Daniel Sampaio

.Blogs

Naif Naif
Studio 78
Marilia's Livejournal
Antigos Caminhos
O Micróbio
Photo of the Day Ng
Cine Blog
A whisper in your hear
O Meu Entendimento
Emanuela
Dentro de Mim
Parlamento do Pica Pau
Gritos Mudos

.Videos

Luciano Pavarotti & DOlores O'riordan - Avé Maria Arcade Fire - Wake Up Sigur Rós - Hoppipolla "I recorded my Amaryllis flower with my webcam for a month, taking 1 photo every 13m 20s. It is played back here at 25 frames per second to Liz Phair's song "Flower". This is my first attempt at timelapse photography, so it's not perfect, but not bad." - by paul Newson

.Imagens

SAPO Blogs