Sábado, 29 de Dezembro de 2007

O Dó (Do-r, Dó-cil, Do-ença, Dó)

A dor que assola o peito de quem, num ímpeto, descobre a sua dependência física e moral pela música, é a anunciação de que não há volta a dar.

Começa como todos os frutos proibidos, primeiro pela aparência inócua, dócil e inocente que pode mostrar, provocando uma simples extasiação melodiosa, ao que depois de se provar uma primeira vez, se segue um tormento de emoções. A música é sem duvida a droga mais original e perigosa que existe, pois ela encontra-se em todo o lado e o seu consumo é demasiado permitido. Esta não possui barreiras, nem limites, nem horizontes que a parem. Não se descobre cura para quem se vicia, apenas se põem de lado os que dela se tornam fanáticos e obsessivos. Nada há a fazer…

Ela persegue-nos por todo o lado e assume todas as formas. Ela é omnipresente e omnipotente. Sabe tudo, vê tudo, consome tudo. E é imortal.

A música deixa de ser vício e torna-se doença. Tão simples é a troca de qualidades, num momento cometemos loucuras ao som da mesma, no outro padecemos tormentos imaginários que dela derivam.

Tornamo-nos assim simples passageiros para um parasita indestrutível que nos destrói até ao mais ínfimo detalhe.

E o nosso futuro acaba literalmente nas ruas, amargurados, de viola em punho, cantando alucinadas alegorias, esperando uma simples moeda para sobreviver, de alguém são que passa e nos olha com um desdenhoso Dó!

música: Low - Breaker

publicado por JoãoSousa às 18:42
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De V.A.D. a 29 de Dezembro de 2007 às 23:04
A música é talvez uma das formas de expressão mais antigas da humanidade e não deixa de continuar a ser um fenómeno intrigante. A música e a fala nasceram da mesma base comum: crê-se que a linguagem dos hominídeos começou por ser uma mera vocalização (uso de vogais) das expressões corporais face a perigos (grito agudo), na exteriorização do contentamento (através de gargalhadas)... Mas a verdadeira comunicação tem mais de racionalidade do que de emotividade. À música foi deixada a parte da emoção... É por isso que "mexe" tanto connosco...
Amigo, desejo-te uma óptima noite e um ano novo cheio de musicalidade!

Um abraço.


De Emanuela a 30 de Dezembro de 2007 às 01:58
Amigo João, não me canso de extasiar-me ante tuas reflexões musicais. Sente-se perfeitamente o quanto a entendes no seu melhor e no seu pior e ainda assim a amas, sem dúvida.
Um beijinho!


De J.C. a 6 de Janeiro de 2008 às 17:56
Sem musica DOi mais !



Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 25 seguidores

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Antena

.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Leitura


O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder



O Amor Em Tempos de Cólera - Gabriel Garcia Márquez


O romance da raposa - Aquilino Ribeiro


A Arte da Fuga - Daniel Sampaio


Laranja Mecânica - Anthony Burgess



Tudo Que Temos Cá Dentro - Daniel Sampaio

.Blogs

Naif Naif
Studio 78
Marilia's Livejournal
Antigos Caminhos
O Micróbio
Photo of the Day Ng
Cine Blog
A whisper in your hear
O Meu Entendimento
Emanuela
Dentro de Mim
Parlamento do Pica Pau
Gritos Mudos

.Videos

Luciano Pavarotti & DOlores O'riordan - Avé Maria Arcade Fire - Wake Up Sigur Rós - Hoppipolla "I recorded my Amaryllis flower with my webcam for a month, taking 1 photo every 13m 20s. It is played back here at 25 frames per second to Liz Phair's song "Flower". This is my first attempt at timelapse photography, so it's not perfect, but not bad." - by paul Newson

.Imagens

SAPO Blogs