Quarta-feira, 13 de Abril de 2005

Sexta Feira

Foi na sexta que tudo rebentou.
Acordei com ela sentada ao meu lado. A cara dela estava melhor, mas continuava vermelha. Já quase não se notava o inchaço no olho.
“Porquê? Olha para a minha cara! Porquê?” perguntou-me ela e apontava para a cara.
Levantei-me. Os miúdos corriam de um lado para o outro. Logo de manha a fazer tanto barulho. Doía-me tanto a cabeça.
“Porque mereces Rita! És tão fria e tão morta mulher! Porque às vezes mereces!”
Talvez esperasse um “desculpa-me” ou algo mais carinhoso. Mas não consegui. Ela merecia, ela tinha de acordar para a vida.
Tomei banho e masturbei-me durante o banho. Ela entrou de rompante e apanhou-me em flagrante. Chamou-me porco, ordinário, imundo e bateu-me no peito. Gritou que não conseguia viver assim. Chorava. Bateu-me novamente e insultou-me mais.
Eu empurrei-a, ela escorregou e bateu com a cabeça no lavatório. Levantou-se e sangrava. Tentei ajuda-la mas ela afastou-me com nojo. Saiu do quarto e gritou-me duma maneira como nunca imaginei “Já Chega! Acabou!”.
Quando dei por mim já tinha batido com a porta da rua.
Corri cá para fora aos berros com ela mas ela já fugia de carro. Os vizinhos vieram todos às janelas.
Esperei. “Ela volta! Ela volta de certeza!”
Fui para dentro e vesti-me. Os miúdos calaram-se e fecharam-se no quarto.
Sentei-me no sofá.
“Ela volta. Tem de fazer o almoço e levar os miúdos a escola! Ela volta.”
Eram três horas, os miúdos ainda calados. Ela ainda não voltara. Liguei-lhe para o telemóvel. Estava desligado. “Raios de Mulher sempre com o telemóvel desligado! RAIOS!” e parti o vidro da porta com um murro. “Se estivesses aqui ias ver! Tu ias ver!” gritava eu dum lado para o outro.
Sentei-me novamente.
“Ela volta. Ela volta. Eu espero. Ela volta”
Passava das sete. Ela não voltava.
“Odeio-te Mulher! Odeio-te! Mas ela tem de fazer o jantar! Ela volta.”
Não voltou. Os putos ainda não se ouviam.
Fui ao quarto deles e esconderam-se de mim a chorar! “Odeio-vos canalha! A vossa mãe virou-vos contra mim! Raio de crianças!” berrava eu e fechei-os no quarto outra vez.
Sentei-me no sofá.
“Ela Volta!”

A porta abriu-se e ela apareceu. Não lhe dei importância nenhuma. Ela não merecia importância.
“Eu disse que voltavas!” Exclamei vitorioso enquanto ela se sentava ao meu lado e me dava a mão.
“Tu sempre voltas!”

publicado por JoãoSousa às 00:04
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Anónimo a 16 de Abril de 2005 às 13:10
Nem sempre é facil largar alguem mesmo quando essa pessoa nos maltrata se a amarmos, mas as forças vao acabando a par e par com cada chapada e cada mal trato e um dia pensara...ela vai voltar e a porta nao se vai abrir...Nunca mais..porque o amor nunca sera dor...Para falar verade tive vontade de abanar o poersonagem, bate-lo com mais força do que ele havera batido a mulher por ser cobarde e resolver os problemas dele com violência...Simplesmente bater, porque situações dessas indigna-me...Um beijo doceMissLadyMystery
(http://MundoDosSonhos.blogs.sapo.pt)
(mailto:lovespellyou@portugalmail.pt)


De Anónimo a 15 de Abril de 2005 às 08:56
Estive a ler deste a quarta feira. Desta vez tiveste sorte, porque a paciência dela um dia vai acabar, o amor que sentia ou sente por ti está a transformar-se em ódio. Porque esperas que ela seja perfeita? Se tu próprio ás a prova da inperfeição? Espero que isto mude, não é vida para ninguém.DiaBoliK AnGel
(http://diabolikangel.blogs.sapo.pt)
(mailto:amff@iol.pt)


De Anónimo a 14 de Abril de 2005 às 00:41
Há pessoas que apesar de todas as dificuldades que a vida lhes opõe, todas as injustiças e abusos, ainda conseguem reunir a pouca energia que lhes resta e agarrar a esperança nas pequenas coisas do dia-a-dia. A alegria dos filhos... a família... a recordação da pessoa por quem se apaixonou... E a realidade por vezes torna-se tão confusa, tão irreal e absurda, que é difícil de aceitar como tal. Tudo deixa de fazer sentido e, como nada faz sentido, tudo se aceita. Mas mesmo na resignação e no conformismo pode haver muita força de vontade. É tudo o que é preciso para um dia abrir os olhos e mudar. Essa mulher é um exemplo de grande coragem, amor e vontade de viver e deve ser respeitada, qualquer que seja a sua decisão.bluefire
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 13 de Abril de 2005 às 21:24
É das que come e gosta, então dá-lhe mais!!!
Fogo!stillforty
(http://outrafacespelho.blogspot.com)
(mailto:alquimiadezasseis@hotmail.com)


De Anónimo a 13 de Abril de 2005 às 18:09
É o mal de mts mulheres q têm ao lado homens porcos e estupidos como esses!eu n voltava nao!!nem seker andava c alguem assim.beijokas.andrye
(http://andrye.blogs.sapo.pt)
(mailto:andrye@sapo.pt)


De Anónimo a 13 de Abril de 2005 às 16:29
:(...o pior é que é frequente isso acontecer...Virgínia Pedras
(http://semipoetisa.blogs.sapo.pt)
(mailto:gina_pedras@yahoo.com)


De Anónimo a 13 de Abril de 2005 às 09:35
Bom dia, e venho responder à tua pergunta sobre o meu nick. Acertaste na mouche :-)yulunga
(http://yulunga.blogs.sapo.pt)
(mailto:yulunga1@sapo.pt)


De Anónimo a 13 de Abril de 2005 às 01:48
Só se for estúpida!Carlos Tavares
(http://o-microbio.blogspot.com)
(mailto:carlos.roquegest@mail.telepac.pt)


Comentar post

.mais sobre mim

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Antena

.Passado

.Em Leitura


O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder



O Amor Em Tempos de Cólera - Gabriel Garcia Márquez


O romance da raposa - Aquilino Ribeiro


A Arte da Fuga - Daniel Sampaio


Laranja Mecânica - Anthony Burgess



Tudo Que Temos Cá Dentro - Daniel Sampaio

.Blogs

Naif Naif
Studio 78
Marilia's Livejournal
Antigos Caminhos
O Micróbio
Photo of the Day Ng
Cine Blog
A whisper in your hear
O Meu Entendimento
Emanuela
Dentro de Mim
Parlamento do Pica Pau
Gritos Mudos

.Videos

Luciano Pavarotti & DOlores O'riordan - Avé Maria Arcade Fire - Wake Up Sigur Rós - Hoppipolla "I recorded my Amaryllis flower with my webcam for a month, taking 1 photo every 13m 20s. It is played back here at 25 frames per second to Liz Phair's song "Flower". This is my first attempt at timelapse photography, so it's not perfect, but not bad." - by paul Newson

.Imagens

blogs SAPO