Domingo, 17 de Abril de 2005

Entre Velhas

Pois é pois é! Cada um tem o que merece, já dizia a vozinha do Quim Jó lá na terra.
Que deus a tenha
Que deus a tenha
Era uma boa mulher, muito humilde e sempre na igreja, muito devota a mulher desde nova.
Mas cá para nós que ninguém nos ouve, ouvi dizer que na igreja, ela e o padre não passavam do sermão. Já nem à comunhão chegavam. E isto dura antes de ela casar com o Gervásio. E pelo que sei, durou até o Gervásio morrer. Coitadinho. Por isso o caixão dele era grande para ele, para lhe caberem os cornos. Coitado, coitado!
Muitas vezes ia a entrar na igreja para me confessar e dizia o Tó Sacristão que estava sempre cá fora a espreitar pela janela da sacristia.
"Não entre Ti'Mariquinhas! Não entre! O padre está outra vez a exorcizar a Quininha das Nelas"
Eu não entrava! Cruzes credo canhoto! Tanto barulho! Tanto berro! Aquilo era medonho. A mulher tinha o Diabo no corpo, Jesus, Maria e José.
E você já sabe como eu sou com essas coisas, benzo-me 3 vezes e rezo um terço.
Eu bem tinha pena da mulher! Ela saia da igreja sempre com cara de quem estava a morrer. Muitas vezes a ajudei a ir para casa! Muitas vezes. Nem andar conseguia, coitada.
Mas uma coisa me ensinaram desde pequena. Voz do povo Voz de Deus.
E o povo dizia. O povo dizia.
Lembro-me na mercearia, na altura do semeio do cebolo, já lá vão uns valentes anos, o Manél Quintas, cochichava com o Zeca Marceneiro.
Eu ouvi sem querer. Não sou dessas que andam ai a bisbilhotar a vida alheia, nem a ouvir tudo o que dizem.
Ouvi sem querer.
Dizia ele baixinho “O Padre Victor é que está bem. Bem com Deus e bem com a Quina das Nelas.”
O Zeca Marceneiro, aquele endiabrado só perguntava “Fodeu? Fodeu?”.
“Mais que uma vez. Disse-me o Tó Sacristão que está sempre a espreitar pela janela.”
E o Zeca Marceneiro ficava mais contente e só perguntava “Fodeu? Fodeu?”.
Então o Quintas contava todo contente “O Tó, ontem na tasca, apanhou uma piela desgraçada. Nem via bem o caminho, nem via bem imagine-se. Fartou-se de apalpar as mamas à Quinhas Tasqueira. Quem me dera a mim! Quem me dera a mim! Mas não interessa. Ele pôs-se a contar do Padre Victor. Santo homem, dizia o Tó. Ele bem quer resistir à tentação, mas a carne é fraca! É fraca! E penicava as mamas da Quinhas.”
Eu fingia que escolhia tomates. O Quintas continuava “A Quina, a Quina é que o provoca. Dia sim, dia não, vai à igreja de tarde para se confessar. Dia sim, dia não. Nem os santos se confessam tanto! Aquela mulher… Nunca me enganou, nunca me enganou. Eu bem avisei o Gervásio para não se casar com ela. Eu bem avisei!”
E o Zeca olhava em volta. A conversa já não lhe interessava. Só queria saber se “Fodeu? Fodeu?”.
Então o Quintas voltava ao assunto “Fodeu! Fodeu e muito! O Tó disse-me que tudo no altar abanava. O São João de Nossa Senhora da Boa vontade até caiu de lá de cima uma vez, tal era a força com que o padre lhe dava a bênção.”
E riram-se os dois bem alto. Depois o Zeca começou a contar sobre a casa de perdição que abriu ali quem vai para S. Pedro do Monte. Ai já não quis saber da história. Não sou dessas que ouve tudo da vida dos outros. Não sou. Mas essa casa, o meu Júlio nunca foi! Eu sei que não. Se ele fosse, ficava lá! Sempre o avisei! Se fosse, ficava lá!
Eu bem digo, aqui que ninguém nos ouve. A Quina, sempre gostei dela e nunca me virei contra ela por causa disso. Era minha amiga e eu gostava dela.
Mas que ficava mal, ficava.


Gabriel Braga

publicado por JoãoSousa às 20:55
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Anónimo a 23 de Abril de 2005 às 23:44
Por instantes transportaste-me à minha infância, na minha aldeia...

Um jinho GANDE de bom fds cheio de cravos lindos..
BShell
blueshell
(http://blueshell.blogspot.com)
(mailto:sengelo@mail.pt)


De Anónimo a 22 de Abril de 2005 às 09:57
"O Tó disse-me que tudo no altar abanava." Que tal o próximo post ser uma cadeia de solidariedade de um peditório para obras a efectuar lá na igreja? yulunga
(http://yulunga.blogs.sapo.pt)
(mailto:yulunga1@sapo.pt)


De Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 00:53
entra no meu msn ;) Priscilla
</a>
(mailto:priscillaribeiro_@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Abril de 2005 às 22:03
O Zeca Merceneiro tb queria molhar o bico...Carlos Tavares
(http://o-microbio.blogspot.com)
(mailto:carlos.roquegest@mail.telepac.pt)


De Anónimo a 17 de Abril de 2005 às 21:24
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL demais :PJaci
</a>
(mailto:)


Comentar post

.mais sobre mim

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Antena

.Passado

.Em Leitura


O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder



O Amor Em Tempos de Cólera - Gabriel Garcia Márquez


O romance da raposa - Aquilino Ribeiro


A Arte da Fuga - Daniel Sampaio


Laranja Mecânica - Anthony Burgess



Tudo Que Temos Cá Dentro - Daniel Sampaio

.Blogs

Naif Naif
Studio 78
Marilia's Livejournal
Antigos Caminhos
O Micróbio
Photo of the Day Ng
Cine Blog
A whisper in your hear
O Meu Entendimento
Emanuela
Dentro de Mim
Parlamento do Pica Pau
Gritos Mudos

.Videos

Luciano Pavarotti & DOlores O'riordan - Avé Maria Arcade Fire - Wake Up Sigur Rós - Hoppipolla "I recorded my Amaryllis flower with my webcam for a month, taking 1 photo every 13m 20s. It is played back here at 25 frames per second to Liz Phair's song "Flower". This is my first attempt at timelapse photography, so it's not perfect, but not bad." - by paul Newson

.Imagens

blogs SAPO