Terça-feira, 27 de Janeiro de 2004

À morte

Morte, minha Senhora Dona Morte,
Tão bom que deve ser o teu abraço!
Lânguido e doce como um doce laço
E, como uma raiz, sereno e forte.

Não há mal que não sare ou não conforte
Tua mão que nos guia passo a passo,
Em ti, dentro de ti, no teu regaço
Não há triste destino nem má sorte.

Dona Morte, dos dedos de veludo,
Fecha-me os olhos que já viram tudo!
Prende-me às asas que voaram tanto!

Vim da Moirama, sou filha de rei,
Má fada me encantou e aqui fiquei
À tua espera... quebra-me o encanto!


Florbela Espanca

publicado por JoãoSousa às 22:40
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2004 às 01:07
Waris eu sei... tu és daquelas pessoas que nao precisam de palavras para descrever a beleza de algo! basta o brilho nos teus olhos, as acçoes que fazes para conhecer essa beleza!
Florbela sim é demais... Deveras belo... poderiamos passar aki horas, dias, anos tentando encontrar os adjectivos necessarios para a caracterizar e comentar este poema... mas nunca iriamos chegar aos "seus calcanhares"... é Simplesmente Florbela.madOsiris
</a>
(mailto:madness@portugalmail.com)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2004 às 01:03
n vou comentar a beleza..
ela n precisa de palavras, basta ler e saborear o poema...
ohh florbela, florbela..waris
</a>
(mailto:waris_dirie_@hotmail.com)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2004 às 00:47
xirubia sei pk sorriste! uma pessoa que com a tua idade gosta de florbela espanca nao é certamente considerada normal (tal como eu) e isso deixa-me completamente fascinado pela tua pessoa! de tal forma que sorrio tb quando leio este poema! por saber que algures por ai está uma pessoa que tb sorriu ao lê-lo e essa pessoa és tu :)madOsiris
</a>
(mailto:madness@portugalmail.com)


De Anónimo a 1 de Fevereiro de 2004 às 00:09
Uns dos primeiros poemas k li da grande florbela foi este... e digo k adorei!!! ter visto o poema transkito fex-m sorrir... :)
(deverás saber o pk...)xirubia
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 27 de Janeiro de 2004 às 23:16
Para este momento que vivimos, nada melhor que este poema...Malu
(http://tintaspermanentes.blogs.sapo.pt/)
(mailto:noquinhas79@mail.pt)


De Anónimo a 27 de Janeiro de 2004 às 23:07
À Vida... Feliz blog novo! Post bastante! Até! Robson do Brasil
(http://www.doutomundo.weblogger.terra.com.br)
(mailto:marcostear@hotmail.com)


Comentar post

.mais sobre mim

.Janeiro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Presente

. À lembrança

. À escrita

. ...

. ...

. Às vezes

. ...

. Lhasa

. Balanço Anual

. Soneto débil

. One Night Stand

.Em Antena

.Passado

.Em Leitura


O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder



O Amor Em Tempos de Cólera - Gabriel Garcia Márquez


O romance da raposa - Aquilino Ribeiro


A Arte da Fuga - Daniel Sampaio


Laranja Mecânica - Anthony Burgess



Tudo Que Temos Cá Dentro - Daniel Sampaio

.Blogs

Naif Naif
Studio 78
Marilia's Livejournal
Antigos Caminhos
O Micróbio
Photo of the Day Ng
Cine Blog
A whisper in your hear
O Meu Entendimento
Emanuela
Dentro de Mim
Parlamento do Pica Pau
Gritos Mudos

.Videos

Luciano Pavarotti & DOlores O'riordan - Avé Maria Arcade Fire - Wake Up Sigur Rós - Hoppipolla "I recorded my Amaryllis flower with my webcam for a month, taking 1 photo every 13m 20s. It is played back here at 25 frames per second to Liz Phair's song "Flower". This is my first attempt at timelapse photography, so it's not perfect, but not bad." - by paul Newson

.Imagens

blogs SAPO